sga.bet

Capa do Álbum: sga.bet
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
sga.bet
Ícone seta para a esquerdaVeja todas as Notícias.

Autoridades do BCE buscam esfriar a euforia com queda da inflação

Placeholder - loading - Sede do BCE em Frankfurt 14/09/2023. REUTERS/Wolfgang Rattay/File photo
Sede do BCE em Frankfurt 14/09/2023. REUTERS/Wolfgang Rattay/File photo

Publicada em  

Por Balazs Koranyi

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu precisa ver mais progressos na redução das pressões inflacionárias, e as empresas tem que, juntamente com os governos, contribuir para evitar um maior aperto na política monetária, disseram autoridades do BCE nesta quarta-feira.

No mês passado, o BCE interrompeu uma série de dez aumentos consecutivos das taxas de juros, e os investidores estão apostando cada vez mais que seu próximo passo será um corte, possivelmente já em abril, uma vez que o crescimento dos preços ao consumidor está agora abaixo de 3%, contra mais de 10% antes.

No entanto, as autoridades que falaram em vários locais em toda a Europa pareciam interessados em esfriar qualquer euforia com relação à rápida queda nos preços, argumentando que o quadro geral é mais misto. Alguns deles até argumentaram que novos aumentos nos juros não deveriam ser descartados.

'Vemos algum progresso (na inflação subjacente), mas ainda não o suficiente', disse o economista-chefe do BCE, Philip Lane, em Riga, acrescentando que não se sente 'muito confortável' com a queda da inflação geral, já que isso se deve a uma reversão dos aumentos dos preços da energia em relação ao ano anterior.

A inflação caiu para 2,9% no mês passado, ante mais de 10% um ano antes, mas Lane previu um crescimento constante ou até mesmo maior dos preços no próximo ano, antes de uma queda de volta à meta de 2% em 2025.

Enquanto isso, o presidente do banco central alemão, Joachim Nagel, fez eco à sua colega alemã e membro da diretoria do BCE, Isabel Schnabel, alertando sobre os perigos da última etapa do trabalho do BCE.

'A 'última milha' antes de atingirmos nossa meta de inflação pode muito bem ser a mais difícil', disse Nagel em Londres.

Schnabel argumentou anteriormente que poderia levar muito mais tempo para passar de 3% para 2% do que o que foi preciso para chegar ao nível atual.

Martins Kazaks, da Letônia, e Gabriel Makhlouf, da Irlanda, chegaram a dizer que novos aumentos nos juros ainda não deveriam ser excluídos, mesmo que os mercados vejam uma probabilidade zero de tal movimento.

'Na minha opinião, é muito, muito cedo para começar a falar sobre se precisamos começar a reduzir ou cortar as taxas... E também é muito cedo para declarar que chegamos ao topo da escada' dos aumentos das taxas de juros, disse Makhlouf em Dublin.

A própria pesquisa do BCE sobre as expectativas dos consumidores, publicada nesta quarta-feira, mostrou que as expectativas de crescimento dos preços para o próximo ano aumentaram acentuadamente em relação ao mês anterior, mas para os próximos três anos permaneceram estáveis, um pouco acima da meta do banco.

Uma condição fundamental para a continuidade da desinflação seria que as empresas começassem a absorver alguns dos aumentos salariais relativamente rápidos e aceitassem margens menores, argumentaram Lane e Nagel.

'Portanto, espero que os lucros das empresas sejam moderados nos próximos trimestres e absorvam alguns dos fortes aumentos salariais recentes', disse Nagel. 'Se, em vez disso, os lucros aumentarem muito, a inflação alta será mais persistente. E isso levaria o (BCE) a agir.'

As margens de lucro das empresas aumentaram durante o período de inflação rápida, uma vez que as empresas aumentaram os preços bem antes do aumento dos custos, aproveitando a turbulência e criando amortecedores contra a possibilidade de mais inflação no futuro.

'Precisamos ver os lucros se ajustarem', disse Lane. 'Quanto mais as empresas absorverem os aumentos salariais por meio de lucros menores, isso ajudará a inflação a cair e, por sua vez, os trabalhadores não sentirão a necessidade de pedir aumentos salariais tão altos.'

Nagel disse que os governos também precisam restringir os gastos para reduzir a carga sobre o BCE.

'O FMI nos disse, há algumas semanas, que não declarássemos vitória tão cedo. Porque há um padrão histórico de vitória sendo declarada cedo demais', disse Makhlouf.

(Reportagem adicional de Francesco Canepa e Padraic Halpin)

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

  1. Home
  2. noticias
  3. autoridades do bce buscam …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.

sga.bet Mapa do site