casadeapostas

Capa do Álbum: casadeapostas
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
casadeapostas
Ícone seta para a esquerdaVeja todas as Notícias.

CEO do Barclays tenta conter fuga de talentos nos EUA

Placeholder - loading - Logotipo do Barclays 21/06/2017 REUTERS/Dado Ruvic/Foto ilustrativa
Logotipo do Barclays 21/06/2017 REUTERS/Dado Ruvic/Foto ilustrativa

Publicada em  

Por Milana Vinn e Abigail Summerville e David Carni

NOVA YORK (Reuters) - O presidente-executivo do Barclays, C.S. Venkatakrishnan, realizou uma reunião virtual nesta semana para abordar as mudanças administrativas que levaram à fuga de cerca de duas dúzias de executivos de investimento nos Estados Unidos nas últimas semanas, disseram fontes familiarizadas com o assunto.

Os executivos partiram para rivais, incluindo o Citigroup, UBS e Jefferies , informou a Reuters. A intervenção de Venkatakrishnan ressalta a pressão que o banco britânico está sofrendo para proteger sua franquia de banco de investimento nos Estados Unidos.

Venkatakrishnan prometeu durante a reunião investir na unidade de banco de investimento para elevar o moral, disseram as fontes.

Embora não tenha citado os nomes dos executivos, ele abordou as mudanças administrativas que levaram o co-diretor do banco de investimento e mercado de capitais, Cathal Deasy, do Credit Suisse e o codiretor dos mercado de capitais de ações (ECM, na sigla em inglês) globais do Morgan Stanley Taylor Wright, assumirem em janeiro como codiretores globais de banco de investimento do Barclays.

Venkatakrishnan disse que as mudanças fazem parte de um plano de sucessão e refletem o foco estratégico do banco em cobrir grandes clientes e o uso inteligente de seu balanço quando se trata de financiar negócios de empresas de private equity.

O Barclays se recusou a comentar a reunião.

O banco também tem procurado repor talentos, contratando cinco diretores administrativos nos Estados Unidos e outros cinco em todo o mundo este ano. No ano passado, o Barclays contratou Jim Rossman como chefe global de consultoria de acionistas da Lazard e neste ano contratou Christopher Ludwig, do Credit Suisse, para trabalhar na assessoria de acionistas.

No geral, os Estados Unidos têm sido um ponto brilhante para o Barclays, ajudando-o a obter um salto de 16% no lucro antes dos impostos no primeiro trimestre, superando as expectativas dos analistas.

Mas foi a divisão de consumidores, cartões e pagamentos, e não o banco de investimento, que liderou os ganhos. As taxas de assessoria em fusões corporativas e captação de recursos caíram 7%.

(Reportagem adicional de Svea Herbst-Bayliss)

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

  1. Home
  2. noticias
  3. ceo do barclays tenta conter …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.

casadeapostas Mapa do site